sábado, 9 de maio de 2009

No último banco da igreja ele sentou e chorou
Seria o retorno da sua fé?
Pensava no momento de felicidade que tivera
O momento em que encontrou o que desejava

Mas o tempo é bipolar e não podia viver uma felicidade eterna
Sim, a Dona Felicidade apareceu pra ele
Linda dama que lhe estendeu sua mão e ficou ao lado dele até o amanhecer
No entanto Dona Felicidade caminha acompanhada da Menina Saudade
Pequena, porém possui um olhar inflamável, penetrante.

Ela deseja a Felicidade apenas pra si.
Na tese da vida, a Dona Felicidade o abandonou por um tempo,
Deixando-o sob os cuidados da Menina Saudade.

E no fim daquela tarde, no último banco da igreja, a saudade o permitiu chorar por ter sido tão feliz naquele dia.



3 comentários:

Edson Lariucci disse...

OLá! Gostei do que vi! parabéns pelo blog, voltarei!

abraços!

Estive por aqui.

Edson Lariucci

Alexandre Alves disse...

Ow, obrigado.
Forte Abraço.

o Nosso cAstelo disse...

sensibilidade nas palavras...um bj