terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Comparações > visibilidade na sinaleira.

É estranho fazer comparações; realmente me sinto cada dia estranho pelo simples vícios de fazer comparações e, na maioria das vezes, comparo meus atos com os de outras pessoas. Não é uma crise messiânica, elevando meu ego a considerar melhor que os outros indivíduos. É a necessidade de ver até onde eu errei na vida.
Esses vícios ficam latentes quando vou todos os dias ao trabalho, quando tomo os mesmos caminhos e estes alimentam meu auto-ódio. O fato de observar a realidade tão presente e livre das utopias, me angustia e me faz comparar entre o eu ideal e o eu atual. Aquelas crianças na rua fazendo o "diabo a quatro" nas sinaleiras me incomodam. Queria que elas saissem do meu caminho. Mas é realidade, como mudar?
Seria eu especial, messianico e com os poderes do senso de justiça libertá-los da maldade de as punem? Não, não nada é especial e meus juízos baseados na filosofia esquerdista-revolucionaria tremem quando percebo que~ainda não fiz nada por elas.

3 comentários:

caetano disse...

velho, bom texto. intrigante e nos leva a questionar nosso senso de compaixão: será que neccesitam de pena, ou de nossa atitude diante à realidade em que as crianças são condenadas?
Obrigado por me desafiar!

Anônimo disse...

bom texto. parabens!

Danusa disse...

Penso o mesmo que você e me sinto mal por isso.

Abs!